Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Página inicial > Sobre o campus
Início do conteúdo da página

O IFPA campus Bragança é uma instituição federal de ensino profissional e tecnológico instalada na cidade de Bragança, nordeste do Pará, vinculada ao Instituto Federal do Pará (IFPA). Oferta atualmente 19 cursos de ensino técnico integrado e subsequente ao Ensino Médio, graduação e pós-graduação.

Histórico do campus

O campus do IFPA em Bragança, nordeste do Pará, inicia suas atividades no dia 20 de outubro de 2008. As atividades escolares e administrativas foram concentradas na Escola Municipal de Ensino Fundamental Jorge Daniel Ramos, no bairro Perpétuo Socorro, enquanto as obras do campus, no bairro Vila Sinhá, eram iniciadas. 
O primeiro processo seletivo em Bragança ofertou 280 vagas para os cursos técnicos em Edificações, Informática, Eventos, Pesca e Aquicultura. Os cursos técnicos em Edificações e Eventos ofertaram duas turmas e os demais ofertaram uma turma.
Paralelamente, o IFPA deu início também à oferta de cursos de nível superior em Bragança, com uma turma de Licenciatura em Física. Em julho de 2009 é ofertada a primeira turma de Licenciatura em Educação do Campo por meio do Programa PROCampo, cujo objetivo principal é a formação de educadores para a docência nos anos finais do ensino fundamental e ensino médio nas escolas rurais dos municípios da região bragantina.

Em 8 de julho de 2011 o IFPA campus Bragança instala-se em sua sede própria, na Avenida dos Bragançanos.

História do IFPA

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - IFPA, em sua trajetória nestes 110 anos de história, representa o sucesso de uma instituição de educação profissional pública, gratuita e de qualidade, que está consolidada na comunidade paraense, brasileira e internacional.

Criado em 23 de setembro de 1909 como Escola de Aprendizes Artífices do Pará, pelo então Presidente da República, Nilo Peçanha, compreendia o ensino primário, cursos de desenho e oficinas de marcenaria, funilaria, alfaiataria, sapataria e ferraria. Em 1930, a Escola de Aprendizes transforma-se em Liceu Industrial do Pará e, em 1942, em Escola Industrial de Belém.

Na década de 1960, é transformado em Autarquia Federal com autonomia didática, financeira, administrativa e técnica. Passa a atuar com o Ensino Profissional em nível de 2° grau com os Cursos Técnicos de Edificações e Estradas, passando a ser chamada em 1968 de Escola Industrial Federal do Pará, posteriormente Escola Técnica Federal do Pará (ETFPA) e se instala definitivamente na Avenida Almirante Barroso no 1155 .

Em 1997 foi instituída pelo Ministério da Educação, a verticalização da Educação Profissional, em níveis Básico, Técnico e Superior. Em 18 de janeiro de 1999, a Escola Técnica Federal do Pará foi elevada à categoria de Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET) com a finalidade de atuar nos níveis e modalidades da educação profissional, ou seja, o Básico, o Técnico e o Tecnológico equivalente à educação superior.

E, finalmente, o então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, através da Lei 11.892 de 29 de dezembro de 2008 cria os Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia, com o objetivo de ampliar a Educação Técnica e Tecnológica nos estados brasileiros.

No Pará o Centro Federal de Educação e Tecnologia do Pará, com sede em Belém, juntamente com as Unidades Descentralizadas de Ensino – Altamira, Marabá e Tucuruí (UNED’S) – e as Escolas Agro Técnicas de Castanhal e Marabá passam a fazer parte Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Todas essas unidades de educação passam a ser denominadas de campus, com autonomia administrativa e pedagógica. Foi então criada uma Reitoria, para administrar todos esses campi, cujo Reitor Pro-tempori, reconduzido pelo MEC foi na época o diretor atual do CEFET-PA, professor Edson Ary de Oliveira Fontes.

No plano de ampliação da Educação Técnica e Tecnológica do Governo Federal foi projetada no Estado do Pará, inicialmente, a construção de sete campi (Abaetetuba, Bragança, Breves, Conceição do Araguaia, Itaituba, Marabá Rural e Santarém), juntando-se ao CEFET-PA, com sede em Belém, e as Unidades Descentralizadas (Marabá e Altamira) e Agrotécnica de Castanhal, forma-se então a rede IFPA. Todos com objetivo de trazer melhor qualidade de vida para as populações das diversas regiões do Estado através de uma educação de qualidade buscando ofertar cursos, tanto técnicos quanto tecnológicos e de licenciaturas, que viessem atender a demanda local.

FONTE: PDC IFPA campus Bragança (2014-2017)

Assunto(s): ,
Fim do conteúdo da página
-->