Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Página inicial > Publicações > Turma de Pesca visita fábrica de beneficiamento de caranguejo na Vila do Treme
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Turma de Pesca visita fábrica de beneficiamento de caranguejo na Vila do Treme

  • Publicado: Sexta, 09 de Novembro de 2018, 12h06
  • Última atualização em Sexta, 23 de Novembro de 2018, 21h03
  • Acessos: 255

Alunos do curso integrado de Pesca do IFPA campus Bragança visitaram uma fábrica de beneficiamento de caranguejo na Vila do Treme para conhecer de perto o processo de extração da carne do caranguejo em padrão industrial. A Filé do Mangue, instalada em Bragança, é a primeira a obter a licença provisória para o beneficiamento da carne de caranguejo no Brasil.

A atividade dentro da empresa complementa uma prática iniciada com a visita às famílias que fazem a extração artesanal do crustáceo na comunidade do Caratateua. A visita à fábrica é parte da ação integradora proposta pelo professor Josinaldo Reis (Tio Bill) aos alunos do 2º ano do curso técnico em Pesca. “A proposta é integrar os conhecimentos debatidos em sala de aula à realidade da pesca artesanal. Isso com um olhar sociológico, histórico, geográfico, trazendo o empreendedorismo na pesca para dialogar sobretudo com a complexidade das relações sociais”, explica o professor.

Na fábrica, alunos e professores puderam conhecer in loco um pouco mais sobre a dinâmica da cadeia produtiva do caranguejo-uçá, recurso pesqueiro responsável por parte da geração de trabalho e renda para os moradores das comunidades visitadas, além de observar as instalações e os procedimentos adotados pela empresa para oferecer ao mercado um produto que cumpre exigências higiênico-sanitárias e de melhor qualidade.

"Para os conteúdos de sociologia, é riquíssimo para os discentes terem a oportunidade de observar a teoria aliada à realidade-prática e entender as teorias sociais como teorias aplicadas a dinâmicas vívidas. No caso específico das comunidades tradicionais e da extração do caranguejo, diversas características socioculturais e sobretudo as relações de trabalho ali presentes nos informam sobre a necessidade de conhecer e pesquisar para produzir mais dados e conteúdos acerca desta realidade local", diz a professora Vanessa Frazão.

Também foram temas de discussão questões relacionadas ao uso de recursos naturais, ao mundo do trabalho, exploração de mão de obra e remuneração. Dentro da disciplina Empreendedorismo na Pesca, foram abordadas questões relacionadas às boas práticas de manejo (BPM) para produtos de origem animal, a fim de agregar maior valor comercial à produção. “A proposta é que ao final do semestre os alunos possam rascunhar um BPM específico para o beneficiamento da carne do caranguejo”, ressaltou Josinaldo Reis, professor responsável pela disciplina. “As visitas às comunidades do Treme e  Caratateua propiciam aos alunos e professores a possibilidade de discutir temas de sala de aula, que podem ser analisados na prática, como a organização familiar do trabalho dos catadores de caranguejo, as condições de trabalho destes e a mudança da dinâmica laboral após a inserção das práticas normatizadas empregadas pelas fábricas de beneficiamento”, explica o professor.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página