Ir direto para menu de acessibilidade.
Brasil – Governo Federal | Acesso à informação
Início do conteúdo da página

Pescadores do Bacuriteua concluem curso de formação de aquaviários

Publicado: Sexta, 20 de Dezembro de 2019, 16h18 | Última atualização em Sexta, 20 de Dezembro de 2019, 17h22 | Acessos: 327
imagem sem descrição.

Com o diploma e a carteira profissional na mão, 54 pescadores da Vila do Bacuriteua concluíram, na quarta-feira (19), o curso para formação profissional de aquaviários ofertado pela Marinha do Brasil em parceria com o IFPA em Bragança. O curso é uma realização da Secretaria de Aquicultura e Pesca da Prefeitura de Bragança e conta com o apoio técnico do IFPA, UFPA, Senai e Corpo de Bombeiros.

Ao longo do ano, 240 pescadores passaram pelo treinamento que inclui instruções sobre segurança na navegação, mecânica de motores a diesel e operação de embarcações. A entrega do diploma e da carteira profissional aos pescadores do Bacuriteua foi realizada no auditório do Instituto Santa Teresinha, na quarta-feira (18), com a presença do prefeito de Bragança, Raimundo Nonato de Oliveira, do diretor administrativo do IFPA campus Bragança, Maurício Quadros, e de familiares emocionados dos formandos.

 

A edição de dezembro do curso de aquaviários foi sediada na comunidade do Bacuriteua e mobilizou famílias de pescadores de toda a região. Ao longo de 10 dias, eles participaram de atividades teóricas e práticas e se credenciaram para o registro profissional como aquaviários. A formação habilita profissionais para a atividade em embarcação pesqueira e para exercer a função de patrão de embarcação, como Aquaviários do Grupo 3, Nível I (CFAQ-III C/M N1). O curso, o segundo em parceria com o IFPA este ano, é o resultado do esforço das instituições em qualificar e profissionalizar a atividade pesqueira na região, oferecendo meios para o desenvolvimento pleno da atividade econômica na costa nordeste do Pará.

Segundo o secretário de Aquicultura e Pesca de Bragança, Danilo Gardunho, 3,8 mil pessoas atuam diretamente nas empresas de pesca de Bragança. O número não considera os pescadores artesanais não registrados na prefeitura. Ainda segundo o secretário, outros 225 pescadores estão pré-cadastrados na secretaria, aguardando a abertura de novas turmas. Em 2020, estão previstas duas turmas na sede do município e uma terceira na comunidade do Monte Alegre, ampliando o número de pescadores com registro profissional no município.

 

Para Maria Adenice da Silva, 32 anos, a formação profissional e a certificação abrem novos horizontes. Maria Adenice e a prima, Lenilza da Silva (24), foram as duas únicas mulheres na turma. “A gente já trabalha na pesca, mas fica na terra. Tece rede, tarrafa, monta o puçá. É pescador também, mas não valorizam. Mas agora eu quero embarcar”, diz Maria Adenice, que sonha com um emprego em carteira assinada e não cogita a ida para outro estado para conseguir se empregar.

José Carlos da Silva Barros, 34 anos, que trabalha com o conserto de embarcações, diz que o curso representa muito para a comunidade. “Esse curso proporcionou para cada um de nós a possibilidade de estudar de novo. E como é bom estudar. Abre a nossa mente”, diz o pescador, que concluiu a formação ao lado do primo, Diego Barros, de 31 anos.

 

Além dos 54 pescadores que passaram pela formação, também receberam os documentos 32 pescadores que fizeram a renovação ou a emissão de 2ª via dos documentos exigidos pela Capitania dos Portos para o trabalho em embarcações pesqueiras. Em agosto, outros 54 pescadores da Vila do Bonifácio e da Vila dos Pescadores de Ajuruteua foram certificados após passar por formação no IFPA campus Bragança.

O que é o curso de aquaviário?
A formação de aquaviário habilita os alunos com as competências exigidas para a inscrição de Aquaviário na categoria de Pescador Profissional (POP), no nível de habilitação 1, Aquaviário do 3º Grupo. Na prática, forma e certifica pescadores para o exercício da profissão em embarcação de pesca de qualquer tipo e porte. Também qualifica para exercer a função de patrão de embarcações de pesca com arqueação bruta menor ou igual a 10 e potência propulsora de até 170 kW para navegação interior ou costeira, segundo informações da Marinha do Brasil.

Para realização da formação, participam técnicos-administrativos e professores dos cursos de pesca e aquicultura do IFPA, professores da UFPA e instrutores do Senai, além de oficiais do Corpo de Bombeiros e armadores de pesca sediados em Bragança.

registrado em:
Fim do conteúdo da página